quarta-feira, 12 de maio de 2010

HOMEM

Esse poema é de minha autoria, e diz assim:

Aquele homem na cama
não vem de mansinho
chega falo, fera, fogo.

Aquele homem na cama
é Eros escrito
Apolo bendito.

Com ele na cama
faço um bacanal
e não tem nada igual.

2 comentários:

  1. Este teu poema
    aqui escrito
    ouvi por ti dito
    num sarau
    também, creia,
    nada ouvira igual

    ResponderExcluir
  2. Hahahaa, que bacana, Adroaldo. Valeu!

    ResponderExcluir

Arquivo do blog